Portal da Prefeitura de Curitiba

voltar

principal
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura

Do piso ao telhado

Prefeitura aplica R$ 4,3 milhões em obras em escolas e creches

14/12/2017 10:12:00

A Rede Municipal de Educação recebeu R$ 4,3 milhões em investimentos em 2017, dinheiro suficiente para executar obras de todos os portes e que somam 422 intervenções nas dez regionais administrativas da cidade. “Chegamos a esse resultado mesmo em período de forte contenção de gastos porque corrigimos o desperdício e focamos na prioridade do setor, que é garantir o bom funcionamento das 185 escolas e 208 creches que já temos”, resume o prefeito Rafael Greca, ao final do primeiro ano da sua segunda gestão à frente de Curitiba.

“Com o recurso e um diagnóstico eficiente das maiores necessidades da rede nesse primeiro momento, foi possível fazer de imediato intervenções há muito tempo pedidas pelas unidades”, explica a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, referindo-se à pintura, reforma de telhados, substituição de toldos e intervenções hidráulicas, entre outros serviços executados. “É incrível como essas obras, mesmo as pequenas, têm o poder de melhorar o funcionamento das escolas”, completa.

Foi o caso do CEI Professor José Cavallin, no bairro Sítio Cercado (Regional Bairro Novo), de onde foram removidos tocos de árvores e antigos bancos e mesas de concreto. “É algo simples, mas que melhorou muito a circulação e a segurança dos alunos”, comenta o chefe do Núcleo Regional de Ensino da Secretaria da Educação, Pedro Rodrigo de Andrade.

Intervenção semelhante foi feita na Escola Donatilla Caron dos Anjos, no bairro Uberaba (Regional Cajuru), que recebeu muro palito e calçamento novos, além de gramado no local onde havia uma árvore que precisou ser removida. “Ficou lindo e valorizou muito o espaço e a meninada adorou”, conta Maria Odete Claro Penteado”, chefe do Núcleo Cajuru.

A definição das obras leva em conta critérios estabelecidos entre a Coordenadoria de Obras da Educação e os núcleos regionais de ensino, que têm a visão de todas as unidades de cada regional. Elas também devem estar incluídas na programação da secretaria, conforme critérios de prioridade e dotação orçamentária. Obras e manutenções que envolvem pequenos reparos nas unidades devem ser feitas com os recursos descentralizados (Fundo Rotativo).

Obras para cada demanda

No bairro Alto Boqueirão (Regional Boqueirão), o Centro Municipal de Educação Infantil Xaxim – um dos primeiros a entrar em funcionamento em Curitiba, há 40 anos – ganhou pintura e telhado novos. Como esse, outros seis CMEIs e sete escolas tiveram a pintura renovada, correspondendo a um investimento de R$ 200 mil.

A substituição integral ou parcial de telhados chegou também ao CMEI Olga Benário Prestes, no bairro Pinheirinho (Regional Pinheirinho) e a outras 21 unidades – entre elas, dez escolas e mais sete CMEIs. O conjunto de obras custou R$ 831 mil.

No Xaxim, o CEI David Carneiro teve o refeitório e as salas de aula reformadas. “Assim como em outras regionais, esses são só alguns exemplos de obras, que estão acontecendo numa velocidade que não imaginávamos no começo do ano”, elogia a chefe do Núcleo Boqueirão, Nilce Cardoso Malage.

A mesma agilidade revitalizou a Unidade de Educação Integral Santa Ana Mestra, no bairro Campo de Santana (Regional Tatuquara). O equipamento tem mais de 20 anos de uso e ficou fechado durante quatro meses – período em que as 150 crianças e adolescentes utilizaram o CMEI Milton Luiz Pereira, unidade que, na época, ainda não havia iniciado suas atividades.

Na Regional Santa Felicidade, o destaque foi a revitalização externa da Escola Jardim Santos Andrade, no bairro Campo Comprido. Pichado, o prédio recebeu pintura externa e teve o parque infantil recuperado. “Somadas à chegada da vice-diretora, secretária e inspetora de ensino, que não havia no local, as intervenções físicas representam novo ânimo para a escola”, conta a chefe do Núcleo Regional, Denise Luciene Lipinski Rutkoski.

Rapidez

Para a chefe do Núcleo Boa Vista, Michele Francisca Prado, chama a atenção a rapidez com que as intervenções mais necessárias têm sido feitas. Como exemplo cita a nova parede executada na Escola Professor Erasmo Pilotto, no bairro Atuba. “Tão logo solicitamos a correção da estrutura, a obra começou a ser feita”, disse, referindo-se a uma falha de projeto detectada no início do segundo semestre.

A correção do sistema hidráulico e a consequente liberação de dois banheiros da Escola Nansyr Cecato, no bairro Parolin (Regional Portão), resolveu um problema antigo do local e que impedia o uso dos banheiros. No bairro Cidade Industrial (Regional CIC), a substituição do alambrado por muro do CMEI Caiuá Ilhéus garantiu mais privacidade e segurança para as crianças que frequentam o local. 

Na Regional Matriz, a Secretaria Municipal da Educação transferiu a gerência da rede de bibliotecas de Faróis do Saber para o novo espaço do Centro de Desenvolvimento Profissional da Escola Professor Brandão, no bairro Alto da Glória.

A gerência também teve quatro unidades revitalizadas e já entregues para uso da população. São elas os Faróis do Saber Herbert de Souza (Uberaba/Cajuru), Fernando Amaro de Miranda (Cidade Industrial/CIC), Manuel Bandeira (Pilarzinho/Boa Vista) e Mário Quintana (Boqueirão/Boqueirão). 

Compartilhe

Leia mais

Mais lidas