Portal da Prefeitura de Curitiba

voltar

principal
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura
  • miniatura

Atendimento

Coordenação dos Direitos da Pessoa com Deficiência amplia parceria com alunos da UFPR

22/05/2017 10:00:00

A Coordenação dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de Curitiba ampliou a parceria que mantém com o curso de Psicologia da Universidade Federal do Paraná.

Desde março, os alunos do quinto e último passaram a ajudar no atendimento psicossocial das pessoas com deficiência atendidas pelo município. Eles participam de um projeto chamado Psicologia, Educação e Comunidade.

Sob supervisão, os alunos resgatam e fazem o acompanhamento de casos levantados pelas 40 escolas de educação especial que são atendidas pela coordenação. São situações que mesmo as equipes das escolas não conseguem resolver. Elas vão desde negligência com a pessoa com deficiência até denúncias de cárcere privado. “Os alunos nos ajudam porque a demanda é muito alta”, diz a coordenadora do direitos da Pessoa com Deficiência, Denise Moraes.

Além dessa ajuda para a estrutura mantida pela Prefeitura, a função faz parte de um estágio obrigatório estipulado para a disciplina de Psicologia Educacional.

Já os alunos do terceiro ano de Psicologia da UFPR também desenvolvem, desde o ano passado, projetos de capacitação na coordenadoria, também voltados ao atendimento psicossocial dessa parcela da população.

Antes de os alunos partirem para a prática, a coordenação faz palestras, nas quais explica o trabalho do órgão.

Numa segunda etapa é trabalhada a sensibilização deles por meio da participação em atividades que são promovidas ou têm parceria com a Prefeitura – desde jogos de rúgbi com cadeira de rodas, até as reuniões do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência (CMDPcD). Por fim, são realizados dois seminários de estudo de caso – atividade prevista na formação em Psicologia.

“A gente pega casos [que envolvem o atendimento psicológico à pessoa com deficiência] de relatórios do Ministério Público, interpreta os documentos, faz a leitura psicossocial e discute que tipo de intervenção o aluno faria”, explica Fernanda Primo, conselheira da Coordenação.

“Eles trabalham em grupo depois apresentam as soluções que eles usariam”, complementa a coordenadora Denise Moraes. “A gente pega nossos casos mais difíceis e eles nos auxiliam.”

Passado, presente e futuro
A professora Roberta Kafrouni é a responsável pelo projeto na UFPR e também uma de suas idealizadoras. “Foi uma proposta que nasceu meio conjuntamente, eu orientei a pesquisa de mestrado da Fernanda [Primo] que foi uma avaliação do Acesso [ônibus da prefeitura adaptado que faz transporte de pessoas com deficiência]”, diz. “A partir desse primeiro momento que a gente começou a pensar em fazer um projeto em parceria.”

A ideia se consolidou quando Kafrouni assumiu a disciplina “Psicologia e Pessoas com Necessidades Especiais” na graduação de Psicologia da UFPR. A professora ressalta que esse trabalho conjunto é positivo pois permite que os estudantes percebam “a complexidade da abordagem desses casos e como eles, como psicólogos, podem intervir nessas questões”.

E já existem mais planos para o futuro. Assim que essas ações se consolidem – especialmente o estágio – e comecem a render resultados em forma de metodologias de acompanhamento para as pessoas com deficiência, a ideia é expandir. “O próximo passo é organizar um projeto de extensão da UFPR que funcionaria como um núcleo de atendimento psicossocial dentro da Coordenação dos Direitos da Pessoa com Deficiência”, conclui.

Compartilhe

Leia mais

Mais lidas